segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Lagomar: Lagoas, mar e muitos problemas!

O bairro Balneário Lagomar em Macaé, ocupa a área de 323 hectares (3.239.000 metros quadrados). São 54 quilômetros de ruas e está situado no Setor 6, margeado pela Rodovia Amaral Peixoto, que o separa do bairro Engenho da Praia. Tem como limite do outro lado, o Oceano Atlântico. O bairro é plano e conta com duas lagoas, a Lagoa dos Patos e o Baixio das Rãs. Uma das principais avenidas é a Quissamã, que corta o Lagomar desde as proximidades do Terminal Rodoviário até a área de amortecimento do Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba, que tem que ser preservada e onde as construções são proibidas.
As carroças que passam dão um clima de interior ao lugar, contrastando com o crescimento acelerado que o bairro sofreu nos últimos anos com a chegada de diversas empresas do setor offshore. Hoje são mais de 30 mil habitantes que vivem entre pastos, fazendas e muitos animais, e que atravessam as ruas e exigem atenção redobrada de quem passa pelo local.
Um dos primeiros problemas que detectamos foi a falta de praças e áreas de lazer.


Moradores jogam bola em campinho improvisado na Rua W9

“As pessoas jogam bola em campinhos improvisados, cada um se diverte como dá”, comentou Adriano Nunes morador do bairro.
Com a experiência de quem mora há quatro anos no bairro, ele aponta facilmente os problemas, que são muitos: "Tem lixo por tudo quanto é lado. Mas acredito que a culpa é dos próprios moradores, que são, em sua maioria, muito relaxados. Todo mundo joga o lixo onde quer, e depois reclama", afirmou. Para completar, a iluminação é precária: "Vários postes não têm luz. Chega à noite e fica tudo escuro", afirmou Adriano. Segundo o morador, alguns postes foram colocados na beirada da rua, o que já provocou alguns acidentes: "Por isso foram retirados. No lugar, tem poste sem lâmpada", ressaltou.


Chuva piora a situação


Em dias de chuva forte, o Lagomar - por incrível que pareça - vira um rio: "Aí, para sair de casa, só de bote", contou Almerinda da Silva, moradora há cinco anos. O bairro é sempre um dos mais atingidos pelas enchentes, que costumam castigar boa parte da cidade.
Como a maioria das ruas não tem calçamento, vira tudo lama. O estrago causado pelas fortes chuvas desta semana ainda pode ser visto em algumas ruas, que estão intransitáveis: "É lama pura. Isso aqui precisa de um calçamento urgente", reclamou a moradora.
E com a chuva vem a dengue, é o que nos contou Marinete Ribeiro Barbosa, vendedora de picolé e moradora do bairro há dez anos.

Vídeo


Transporte público precário

Mesmo com a chegada do Sistema de Transporte Integrado no bairro o transporte público ainda é um problema: "Tem bem mais ônibus que antigamente, mas ainda não é o suficiente para a quantidade de pessoas que moram aqui", declarou Josiele Pacheco que é recepcionista na Petrobras – Parque de Tubos. "De manhã, os ônibus saem lotados. Na volta para casa é a mesma coisa". Afirmou Josiele que gasta 2h20 todos os dias para chegar em casa.



Orla é o sonho

Apesar de gostarem muito de jogar futebol, os amigos Daniel Júnior, de 19 anos, e Alex Dias, de 18 anos, se divertem na praia nos dias de sol. E tem um sonho em comum - a criação de uma orla pavimentada.
Como o mar naquela localidade é agitado, um calçadão, com quiosques e ciclovia seria o ideal: "E mais uma opção de lazer. A orla é o que falta para gente", acreditou Daniel. Já que têm a praia tão perto de casa, os rapazes sonham com a construção da orla, que também movimentaria o bairro nos finais de semana.



Veja aqui mais fotos do bairro Lagomar

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Calamidade Pública em Santa Catarina 22, 23 e 24 de Novembro de 2008

















COMO AJUDAR :

O Banco do Brasil, o Bradesco e o Banco do Estado de Santa Catarina (Besc) abriram contas para receber doações para as vítimas das enchentes em Santa Catarina A conta no Banco do Brasil é 80.000-7, agência 3582-3 No Besc, as doações devem ser depositadas na conta 80.000-0, agência 068-0 Já o Bradesco recebe as doações na conta 160.000-1, agência 0348-4 Os depósitos devem ser feitos em nome do Fundo Estadual de Defesa Civil, no CNPJ 04.426.883/0001-57 A empresa Tecnoblu, que mantém escritórios em Blumenau e em São Paulo, está recolhendo doações. Elas devem ser entregues na Rua Maestro Cardim, 407, conjunto 608, na Bela Vista .

(Jornal da Tarde)